Um homem comprou um papagaio que parecia calmo,
muito tranqüilo, mas quando chegou em
casa foi aquela decepção.

O papagaio resmungava, reclamava e xingava o dia inteiro.



O dono tentou amansar o louro tirando-o da gaiola, lendo poesia, tocando música clássica e até levou o papagaio para cultos da Igreja Universal,
mas não teve jeito.

Já cansado, começou a gritar e ameaçar o papagaio, mas este ficava pior e pior a cada dia que passava.

Um dia, num momento de fúria, o dono pegou o papagaio e jogou dentro do freezer.



O papagaio começou a xingar tudo quanto era palavrão até que, subitamente, calou-se sem
terminar o último palavrão.

Momentos depois, o homem preocupado, pensando ter matado o louro, abriu a porta do freezer e o
louro começou o discurso:



- Sei que meu linguajar tem sido mais do que inapropriado a este ambiente familiar e que minha atitude não condiz com a atenção que o
senhor tem me dado.
Gostaria de  apresentar minhas sinceras desculpas e colocar que, daqui em diante, me portarei adequadamente.

Surpreso com o resultado, o dono ia perguntar se a lição que lhe dera fora bem aprendida, quando o louro o interrompe e  pergunta:

Só por curiosidade, o que foi que aquele frango fez?